Ortodontia

A Ortodontia é a área da medicina dentária que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada, envolve o diagnóstico, prevenção e tratamento dos problemas causados por dentes que não se articulam de maneira harmoniosa, devido à má posição destes e dos maxilares, são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal.

O início do tratamento dá-se através de um estudo que envolve a análise cefalométrica da radiografia de perfil, análise dos modelos da boca, análise das fotografias e da história clínica. Só a partir desse estudo é que se poderá saber qual o tipo de aparelho a utilizar, podendo ser necessário aplicar aparelhos removíveis, fixos ou biomecânicos.

A duração dos tratamentos ortodônticos dependem de vários factores podendo demorar meses ou anos, mas em média duram entre 1-2 anos.

Um bom alinhamento dentário permite uma relação correcta entre as arcadas, obtendo-se um melhor equilíbrio estético dentário, facial, oclusal e funcional.

Esta área de intervenção melhora a oclusão dentária, promovendo uma melhor distribuição das forças exercidas sobre os dentes, protegendo-os de traumas na gengiva, osso e ligamentos.

Aparelhos Dentários

Trata-se de um dispositivo médico utilizado na medicina oral cujo objectivo é solucionar o deficiente posicionamento dos dentes e dos maxilares, corrigindo dentes tortos ou sobrepostos e espaços indesejados.

Trata-se de um dispositivo médico utilizado na medicina oral cujo objectivo é solucionar o deficiente posicionamento dos dentes e dos maxilares, corrigindo dentes tortos ou sobrepostos e espaços indesejados.

Existem vários tipos de aparelhos dentários com distintas finalidades; o aparelho fixo composto por brackets de metal, o aparelho dentário fixo estético de cerâmica, o lingual, Sm;)lers, aparelho de contenção ou os expansores. O mundo dos aparelhos ortodônticos é vasto e diverso, sempre adaptado a diferentes problemas e soluções.

  • Aparelho dentário fixo convencional
  • Aparelho dentário fixo estético
  • Aparelho dentário removível de contenção
  • Expansor palatino

A ortodontia fixa é geralmente a mais utilizada. Permite um controlo maior do plano de tratamento por parte do dentista e esse controlo aumenta a sua eficácia.

Este tipo de aparelho convencional é fixo aos dentes com substâncias adesivas adequadas. O aparelho dentário fixo convencional é composto por bandas, fios, brakets e elásticos. A peça colada no dente é chamada de bracket e é através deste elemento que o ortodontista aplica a força. Os aparelhos fixos são apertados mensalmente pelo dentista. Através desta força suave, os dentes vão gradualmente para a posição correta. Este tipo de aparelho é geralmente feito de metal leve. O aço inoxidável é muito utilizado nos aparelhos dentários devido à biocompatibilidade e resistência.

O tratamento demora em média um ou dois anos dependendo da gravidade do problema ortodôntico. A assiduidade do paciente nas consultas de controlo determina e contribui para o sucesso do tratamento.

O aparelho estético tem a mesma função que o aparelho dentário convencional de metal; corrigir dentes tortos e desalinhados.

O objectivo de um aparelho ortodôntico estético é o de tornar imperceptível os elementos que o compõem; o aparelho estético fica disfarçado porque os brackets são de material translúcido ou transparente. O material pode ser safira ou porcelana em vez dos brackets de metal.

Os aparelhos estéticos são especialmente concebidos para as pessoas que têm particular preocupação com a estética dentária durante o tratamento ortodôntico.

É fabricado em 3 tipos de materiais:

  • Policarbonatos: são compostos de material acrílico e a sua aparência é mais discreta. Tem um custo mais acessível em comparação com os outros aparelhos estéticos. No entanto não tem grande resistência e os brackets podem quebrar ou descolar com mais frequência. Por outro lado a cor do aparelho pode sofrer alterações com a absorção de pigmentos. Esta alteração de cor depende da alimentação e dos hábitos dos pacientes;
  • Cerâmica: Devido às características do material não sofre alterações de cor e é bastante resistente. Existe menor atrito nos brackets e o fio comporta-se de forma mais eficaz. Tem um custo mais elevado do que o anterior aparelho dentário estético;
  • Safira: Os brackets de estes aparelhos são translúcidos. Não sofrem alterações de cor e raramente descolam ou quebram. O resultado estético é bastante agradável porque apenas se vê o fio ortodôntico.

Os dispositivos de correcção dentária são compostos por elásticos de diversas cores. Estes elásticos coloridos são fabricados de elastómeros e substituem-se mensalmente na consulta de controlo de ortodontia. Os elásticos servem para segurar o fio metálico denominado de arco ortodôntico aos brakets (pequenas peças coladas aos dentes).

São os elásticos que dão a cor aos aparelhos ortodônticos e existem em quase todas as tonalidades; verde, amarelo, prata, vermelho, rosa, branco, lilás.

O aparelho dentário de contenção removível é geralmente aconselhado a crianças com ou sem dentição definitiva com o objectivo de modificar o crescimento.

É muito eficaz em crianças até aos 12 anos de idade. Este tipo de aparelho removível é também aconselhado a jovens com ligeiro desalinhamento dentário. Muitas vezes é utilizado como complemento final do tratamento de ortodontia fixa. Tal como o nome indica são removíveis, podem ser retirados para as refeições e para higienizar.

O aparelho dentário de contenção é composto por uma base em acrílico ou material plástico e metal que vai encaixar nos dentes. É geralmente utilizado durante alguns meses depois do tratamento ortodôntico fixo e serve para conter os dentes. São usados com o objectivo de prevenir que os dentes voltem à posição inicial. O osso do maxilar, os lábios, a língua e a face precisam de se adaptar à recente posição dos dentes. Este tipo de aparelho dentário é geralmente usado durante alguns meses após o tratamento de ortodontia. O objectivo é o de manter os dentes na posição ideal conseguida através do tratamento. Se for modificado pode servir para evitar que uma criança chuche no dedo. Os vários tipos de aparelhos removíveis têm diferentes finalidades; estimulam o crescimento ósseo no caso dos aparelhos ortopédicos, as placas ortodônticas movimentam os dentes e os de contenção ajudam a manter os resultados.

A oclusão dentária é a forma como os seus dentes se relacionam entre si. Para se obter uma oclusão ideal é necessário que se estabeleça uma correcta relação entre os maxilares, e um posicionamento dentário que permita a manutenção de todas as funções orais – mastigação, fonação, deglutição e estética.

A má oclusão dentária pode levar à alteração de uma ou todas estas funções, bem como em alguns casos, à disfunção têmporo-mandibular. Disfunção têmporo-mandibular no sentido amplo é uma afecção resultante do funcionamento anormal da musculatura da mastigação, da articulação têmporo-mandibular (ATM), estruturas associadas ou ambas na região buco-facial ou cervical.

Pode provocar dores de cabeça ou pescoço, ruídos articulares (estalidos), zumbidos ou plenitude no ouvido, travamento ao abrir ou fechar a boca, limitação de abertura bucal, desgaste nos dentes e dificuldades na mastigação. Pode modificar características psicossomáticas do indivíduo, reduzindo a sua qualidade de vida.

Cientes da importância da oclusão, no Instituto de Implantologia procuramos restabelecer uma oclusão dentária ideal em todas as nossas reabilitações.

Temos ainda clínicos com formação específica na área que poderão diagnosticar e tratar patologias relacionadas com a disfunção.

No âmbito das patologias relacionadas com a oclusão destaca-se o bruxismo.

Oclusão

A oclusão dentária é a forma como os seus dentes se relacionam entre si. Para se obter uma oclusão ideal é necessário que se estabeleça uma correcta relação entre os maxilares, e um posicionamento dentário que permita a manutenção de todas as funções orais – mastigação, fonação, deglutição e estética.

A má oclusão dentária pode levar à alteração de uma ou todas estas funções, bem como em alguns casos, à disfunção têmporo-mandibular. Disfunção têmporo-mandibular no sentido amplo é uma afecção resultante do funcionamento anormal da musculatura da mastigação, da articulação têmporo-mandibular (ATM), estruturas associadas ou ambas na região buco-facial ou cervical.

Pode provocar dores de cabeça ou pescoço, ruídos articulares (estalidos), zumbidos ou plenitude no ouvido, travamento ao abrir ou fechar a boca, limitação de abertura bucal, desgaste nos dentes e dificuldades na mastigação. Pode modificar características psicossomáticas do indivíduo, reduzindo a sua qualidade de vida.

Cientes da importância da oclusão, no Instituto de Implantologia procuramos restabelecer uma oclusão dentária ideal em todas as nossas reabilitações.

Temos ainda clínicos com formação específica na área que poderão diagnosticar e tratar patologias relacionadas com a disfunção.

No âmbito das patologias relacionadas com a oclusão destaca-se o bruxismo.

Drª Heloísa Proença

Consulte a nossa Médica Dentista